(41) 2141-4100

Blog

« Voltar
20/07/2020

Sulfato de Zinco e o Covid-19

O PAPEL DO ZINCO EM INFECÇÕES VIRAIS POR CORONAVIRUS

 

O papel do ZINCO na imunidade

Diferentes estudos vêm sendo feitos buscando amenizar os sintomas respiratórios das infecções virais e acelerar a recuperação dos pacientes. Especificamente nos Idosos, o tema se torna mais urgente, pois o envelhecimento induz a desregulação do sistema imunológico e, nesse caso, a nutrição tem grande influência na resposta imune de idosos 1 aonde a deficiência de Zinco vem se tornando mais evidente.

O Zinco tem papel crucial na imunidade de forma geral. Atua na produção de timosina e timulina, no equilíbrio das células T, nas interleucinas e nas citocinas e parece estar envolvido também na diminuição da resposta à vacinação e funções prejudicadas de células imunes inatas.1  Durante quadros infecciosos, ocorrem alterações na homeostase hepática do Zinco podendo agravar o quadro de deficiência do mineral e, consequentemente, afetar as funções dependentes do Zinco em praticamente todos os tecidos, em particular no sistema imunológico.2 Além dos dados já bem estabelecidos na comunidade cientifica a respeito do Zinco e a resposta imunológica, vários estudos foram conduzidos demonstrando a capacidade do Zinco intracelular em inibir a replicação de diferentes vírus, como é o caso do vírus influenza3 e do SARS-Coronavirus ou SARS-CoV4 (Vírus identificado em 2002 e causador do surto da SARS - síndrome respiratória aguda grave).

 

Virus SARS-COv e Covid 19

Virus como o SARS-Cov e o SARS-Cov 2 são do tipo RdRP dependentes, ou seja, essa RdRP (RNA-dependente RNA-polimerase), através de uma sequência de processos de tradução é que produz a nova sequência de RNA, idêntico aquele introduzido pelo vírus na célula do hospedeiro, além de sequências genômicas pequenas, que futuramente serão traduzidas pelos ribossomos do hospedeiro e produzirão as proteínas que fazem parte da cápsula viral. Com isso, o novo RNA e novas proteínas se reorganizam e são liberadas da célula do hospedeiro para infectar outra célula e consequentemente outra(s) pessoa(s). Esse processo é amplamente conhecido pela comunidade cientifica e, portanto, a RdRp é comumente alvo de estudos para o impedimento da replicação viral e controle da doença.

 

Estudos relacionando o ZINCO e o tratamentod a pandemia de Covid 19

Velthuis, Aartjan J. W; et. al. um estudo com ensaios in vitro demonstraram que o aumento da concentração intracelular de Zn2+  pode prejudicar eficientemente a replicação viral do SARS-Cov justamente pelo bloqueio do RdRp. Estudos similares não foram ainda conduzidos com o vírus SARS-Cov 2 responsável pela epidemia atual, entretanto, já se sabe que ambos utilizam o mesmo mecanismo de replicação5.

 O Zinco tem dificuldade de atravessar a barreira citoplasmática, portanto, para garantir níveis adequados de zinco intracelular, além de uma ingestão suficiente de zinco pela dieta, suplementação ou medicamentos, no levantamento bibliográfico feito, observaram-se efeitos com o uso de diferentes “ionóforos” (moléculas capazes de transportar íons através de barreiras lipídicas, no nosso caso a membrana celular), entre eles a cloroquina5 e a hidroxicloroquina.

 Em recente depoimento e carta aberta a comunidade cientifica, o médico americano Dr. Vladmir Zelenko, que atua na área de saúde da família, informou que vem utilizando um regime de tratamento em todos os pacientes adoentados pela Covid 19 com resultados extremamente promissores. Segundo Dr. Zelenko, seu regime de tratamento foi baseado em dados oriundos da China, Coreia do Sul e França e consiste em 5 dias de tratamento com os seguintes medicamentos: SULFATO DE ZINCO 220mg (equivalente a 50mg de zinco elementar) uma vez ao dia, como agente inibidor da replicação viral; 200mg de hidroxicloroquina duas vezes ao dia como ionóforo do zinco; e 500mg de azitromicina uma vez ao dia para prevenção de infecções bacterianas secundárias6.

Após a carta aberta do Dr. Zelenko, vários outros médicos ou pesquisadores médicos tem se manifestado a respeito da combinação cloroquina, azitromicina e ZINCO, dentre eles Dr. Eric Berg DC, Dr. Anthony Cardillo, Dra. Nise Yamaguchi, Dr. Minh D. entre outros em todo o mundo.

 

 

REFERÊNCIAS

1.              Lesourd  BM. Nutrition and immunity in the elderly: modification of immune responses with nutritional treatments Am J Clin Nutr. 1997;66(suppl)478S- 484S.

2.              Haase, H., Rink, L. The immune system and the impact of zinc during aging. Immun Ageing 6, 9 (2009). https://doi.org/10.1186/1742-4933-6-9.

3.               Uchide N, Ohyama K, Bessho T, Yuan B, Yamakawa T (2002) Effect of antioxidants on apoptosis induced by influenza virus infection: inhibition of viral gene replication and transcription with pyrrolidine dithiocarbamate. Antiviral Res 56: 207–217.

4.               Velthuis, Aartjan J. W.; van den Worm, Sjoerd H. E.; et. Al. Zn2+ Inhibits Coronavirus and Arterivirus RNA Polymerase Activity In Vitro and Zinc Ionophores Block the Replication of these Viruses in Cell Culture. Published: November 4, 2010. https://doi.org/10.1371/journal.ppat.1001176

5.               Xue J, Moyer A, Peng B, Wu J, Hannafon BN, Ding WQ. Chloroquine is a zinc ionophore. PLoS One. 2014 Oct 1;9(10):e109180. doi: 10.1371/journal.pone.0109180. PMID: 25271834; PMCID: PMC4182877.

6.               Scholz, M.; Derwand, R.; Zelenko, V. COVID-19 Outpatients – Early Risk-Stratified Treatment with Zinc Plus Low Dose Hydroxychloroquine and Azithromycin: A Retrospective Case Series Study. Preprints 2020, 2020070025 (doi: 10.20944/preprints202007.0025.v1).

 

 

"DIVERSOS PROTOCOLOS NO BRASIL, INCLUÍRAM O SULFATO DE ZINCO NO TRATAMENTO PRECOCE CONTRA O COVID19; E “KIT’S” ESTÃO SENDO DISTRIBUÍDOS POR PREFEITURAS E PLANOS DE SAÚDE.”

Abaixo disponibilizamos algumas fontes divulgadas sobre o assunto:

MARTIN SCHOLZ, ROLAND DERWAND, VLADIMIR ZELENKO. COVID-19 OUTPATIENTS – EARLY RISK-STRATIFIED TREATMENT WITH ZINC PLUS LOW DOSE HYDROXYCHLOROQUINE AND AZITHROMYCIN: A RETROSPECTIVE CASE SERIES STUDY:
https://www.preprints.org/manuscript/202007.0025/v1

SINDICATO DOS MÉDICOS DO CEARÁ:
http://sindicatodosmedicosdoceara.org.br/pdfs/proposta-tratamento-covid-19-sindmed-13-05-2020.pdf

MINISTÉRIO DA SAÚDE:
https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/May/20/orientacoes-manuseio-medicamentoso-covid19.pdf

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL:
http://www.mpf.mp.br/mg/sala-de- imprensa/docs/2020/prm-iua-mg-00002060- 2020_cloroquina.pdf

MÉDICOS PELA VIDA:
https://www.dropbox.com/s/hfsiatk5njwb43v/Protocolo%20Pre%20Hospitalar_V1.1.pdf?dl=0&fbclid=IwAR36zIhNuvveSGz0R99s7yFnmo_eiR5X_xlSYD-SwXrvDrlkZlCJUp6K0aA

MATÉRIA JORNALÍSTICA NA REDE GLOBO NORDESTE:
https://globoplay.globo.com/v/8567909/

DOWNLOAD DA APRESENTAÇÃO "ZINCO PARA O COVID-19"
https://mega.nz/file/HYd3mCTT#yUcnxKr3AQ-iA-6GRWWn7uB_ZgkVUMEfLXXpx87YRKI

Categorias

RUA ALMIRANTE GONÇALVES, 2265, CURITIBA - PR - CEP: 80250-150
Ver Mapa
 

NUNESFARMA DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA | Nunesfarma
CNPJ:75.014.167/0001-00 | IE: 101-470.94-67 | IM: 00 00 0111436-0
Endereço: Rua Almirante Gonçalves, 2265
CEP: 80250-150 Água Verde - Curitiba
Farmacêutica Responsável: Pâmela Fernandes Kaseker | CRF-PR 16.297 | Autorização MS:1.01795.2
Fone (41) 2141 4100 | Email: sac@nunesfarma.com.br
As imagens exibidas são meramente ilustrativas. Todos os direitos reservados.
Agência7